66.(CESGRANRIO – PETROBRAS– ADMINISTRADOR/2012)

A Cerâmica ZO, segmento de louça de porcelana que, em condições normais produtivas, consome 18.700 quilos de porcelana e estima uma queda de 15% no fornecimento dessa matéria-prima para o próximo período produtivo, apresentou as seguintes anotações do último período produtivo, em condições normais de produção:

q66

 

Utilizando-se 4 (quatro) casas decimais nos cálculos e considerando-se exclusivamente as informações recebidas e a boa técnica da teoria das restrições, a indústria ZO, para maximizar o resultado, perante a restrição estimada, deve sacrificar a produção do produto

(A) jarra
(B) prato fundo
(C) prato raso
(D) terrina
(E) travessa

COMENTÁRIO

Teoria das Restrições é você sacrificar o produto que te dá menos resultado caso haja necessidade (restrição) de produção em algum sentido. Seja essa restrição matéria-prima, mão de obra ou qualquer outro fator. Se vamos ter que sacrificar algum produto, que seja o que dá menos lucro. Simples assim e capitalista assim.

A questão já nos diz que hoje precisamos de 18.700 kg para nossa produção total. Se vamos perder 15% de matéria prima, não dará para produzir tudo, então temos que tirar o que dar menor resultado. Para isso é simples, faça a Margem de Contribuição de cada um (MC = PreçoVenda – (CustosVariáveis + DespesasVariáveis) e multiplique pela produção que teremos o resultado total. Façamos um por um e compare quem tem o menor:

– Prato Fundo:
MC = 41 – (12 + 10 + 7) = 12
MCtotal = 12 * 20.000 = 240.000

– Prato Raso:
MC = 40 – (13 + 8 + 6) = 13
MCtotal = 13 * 18.000 = 234.000

– Jarra
MC = 39,5 – (12,50 + 10,50 + 8) = 17
MCtotal = 17 * 12.000 = 272.000

– Travessa
MC = 53,50 – (15 + 11,50 + 9) = 18
MCtotal = 18* 13.000 = 234.000

– Terrina
MC = 55,50 – (11 + 5,50 + 6,00) = 24,50
MCtotal = 24,50 * 18.000 = 294.000

Agora temos que dos produtos tem lucro igual e em último lugar. O prato raso e a travessa nos dão 234.000 igualmente. E agora?

Poderia tirar qualquer um dos dois? Alguns, sem conhecer bem a teoria das restrições tiraria o prato raso, que tem a menor margem de contribuição. Mas não é bem assim, vamos lá.

Já que temos dois empatados no resultado, temos agora que pensar na restrição. Os dois me dão exatamente o mesmo lucro, mas a minha restrição é matéria-prima. Qual utiliza mais matéria-prima? A travessa utiliza 300 gramas por unidade, totalizando 3.900 kg em toda a produção. O prato raso utiliza 200 gramas, totalizando 3.600 kg. O que do nos dá o mesmo lucro utilizando menos matéria-prima (que é a restrição) é o prato raso, então sacrificamos o que utiliza mais matéria-prima. Tem que pensar com a restrição.

RESPOSTA LETRA E

 

 

5 Comentários

  1. Raqueline

    Ops, os valores de produçao da jarra e da terrina estao incorretos
    Jarra 16000, Terrina 12000!!!!

    Responder
  2. Evetay

    Bom dia,

    Eu Poderia ter feito somente pelo MCu/consumo de matéria prima?
    Fiz por esse método e deu certo.

    Responder

    1. Olá Evetay,

      Quando pensamos na teoria das restriçõs, pensamos justamente no que nos dar mais lucro por unidade de restrição. Quando fazemos a divisão que você fez, o resultado obtemos na unidade “r$/kg de mp”, logo é o que nos diz a teoria das restrições. Obterá a mesma resposta!
      Eu tenho como lógica sempre colocar a solução mais completa, principalmente quando se trata de questões com cálculos, pois muitos tem dificuldade, então busco explicar os detalhes, mas obrigado por compartilhar a maneira mais rápida!

      Bruno

      Responder
  3. Wíverson Cardoso

    Essas questões da cesgranrio são cheias de furos. Não sei se perceberam, mas se a matéria-prima é a mesma (porcelana) então o custo da MP deveria ser proporcional à quantidade utilizada.

    Mas não é. Reparem que o valor da MP varia de uma maneira bem estranha… 😐

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload