27. (CESGRANRIO– PETROBRAS– ADMINISTRADOR/2012)

O ambiente organizacional bastante complexo atualmente exige que o mundo corporativo adote novas estruturas, possibilitando maior flexibilidade de atuação, adaptando-se às necessidades do mercado e às expectativas dos clientes.
Nesse sentido, a estrutura que atende a essa exigência é a organização

(A) de acordo com a atuação regional, já que pode estar adaptada às variações culturais.
(B) por cargos e tarefas, porque enfatiza o trabalho simples e repetitivo, facilitando a especialização dos profissionais.
(C) por funções, onde as atividades são agrupadas por sua finalidade, facilitando a adaptação às exigências do mercado.
(D) por divisões, que permite estruturar a empresa diversificada, possibilitando a integração horizontal.
(E) por processos, na qual as atividades são realizadas numa sequência lógica possibilitando o fluxo contínuo do trabalho.

COMENTÁRIO

Essa questão é a primeira polêmica dessa prova, deve ter chovido recurso em cima dela, ainda mais por duas pequenas frases do nosso ilustre Chiavenato que dizem em um quadro que lista vantagens e desvantagens de cada tipo de organização e na hora da por processo nos diz:

DESVANTAGEM: Falta de flexibilidade e adaptação a mudanças.

Então como essa poderia ser a resposta? (Já entregando o gabarito.) Acredito que quase todo mundo que sabia a matéria, tinha estudado um pouco ou visto no dia anterior, marcou o regional, já que sempre aprendemos que essa é a mais flexível. Mas notem que ele tem que se adaptar às expectativas do mercado e do cliente, não diz que tem se adaptar a cada região ou local que ela esteja, caracterizando a estrutura geográfica.

A estrutura baseada nos processos agrupa atividades e recursos com base nos processo-chave da organização. Por exemplo, uma fábrica de fogões pode ser estruturada nos processos de montagem, corte, pintura. Assim como em um fast-food, por exemplo, tem o processo de assar, o de montagem, o pessoal do processo da batata-frita e assim vai se completando cada produto.

Quando vemos nos livros a falta de flexibilidade da estrutura flexível é quanto a mudança do ambiente, por isso a estrutura por processo é apropriada para ambientes estáveis. Como geralmente cada processo gira em torno de uma máquina, a falta de flexibilidade vem daí. Quando o ambiente tem mudanças muito rápidas de tecnologia, por exemplo, fica difícil refazer sempre os processos, a cada mudança de máquina, de tecnologia.

A adaptação fala na questão é a necessidade do mercado, do cliente, é como fazer a vontade do mercado e dos clientes, ou seja, adaptar o produto para cada pessoa. E aqui podemos voltar ao exemplo do fast-food. Os clientes do fast-food pedem diversas coisas, muito diferentes, mudando cada combo (produto). Então temos os processos interligados para satisfazer o cliente. Se ele quer um sanduíche duplo ou simples será feito na hora do processo de montagem. É justamente essa separação dos processos que dá essa flexibilidade. Se você quer com batata ou não, bem passado ou não só tem como fazer se cada processo for feito separadamente, como na estrutura por processo, sem contar que isso não muda as etapas, o fluxo do processo. O processo de montar, de assar sempre estará acontecendo, continuamente.

Se tentarmos encaixar em qualquer outra estrutura, seria bem mais complicado essa adaptação do produto para cada cliente, os outros permitem uma flexibilidade melhor da empresa quanto ao ajuste a um grupo (regional) ou facilita a mudança e adaptação às mudanças do mercado e das variáveis externas.

Nessa ficou um pouco difícil de captar a mensagem da banca, qualquer dúvida usem o espaço de comentários abaixo.

RESPOSTA LETRA E

6 Comentários

  1. Bianca Prado

    Mas Bruno quando você explica que o produto é adaptado a cada cliente, então se dentre as alternativas da questão tivesse estrutura organizacional por clientela e por processo, seria difícil responder uma das duas, visto que a estrutura por clientela também visa ao cliente.
    Nossa agora fiquei confusa. Ambas adaptam seus produtos para cada cliente. Poderia me explicar ?

    Responder

    1. Vou tentar explicar com um exemplo prático, Bianca, vamos com calma.
      Adaptar o produto ao cliente que eu falei na questão, não quer dizer que teremos um produto novo para cada cliente. Como assim? Outro exemplo simples, fora da questão, os carros. Alguns clientes querem o carro com alarme, outros com som, ar-condicionado, enfim. Você “molda” o produto da maneira que você quer, mas em cima da base do carro. Você não muda completamente o carro, apenas o adapta. Se uma montadora (ou concessionária) for dividida por processos, como eu falei na questão, o carro passará apenas pelos processos que o cliente quer.

      Quando a empresa foca cada setor da sua empresa em um cliente (ou grupo de clientes específicos) é a que você falou. Se continuássemos no exemplo do carro, não teríamos mais os processos de ar-condicionado e assim vai, teríamos setores da empresa trabalhando em desenvolver carro apenas para o público feminino, ou masculino, ou para quem tem filhos. O exemplo mais clássico é o de loja de departamentos, que tem o departamento infantil, feminino, masculino etc.

      Deu para entender, mais ou menos?

      Responder
  2. BlakeDestroyer

    Essa questão esta visivelmente confusa, para não dizer errada, é uma pena que a CESGRANRIO não reavaliou o seu descaso nela.

    No enunciado diz sobre as adaptações na organização em função das necessidades do mercado e das expectativas dos clientes (flexibilidade) e nesse quesito, as organizações por funções, divisionais e regionais, saem na frente, pela sua facilidade de se atualizar mais rápido e no caso das regionais, também por ter maior retroação por parte da ambiente no qual esta inserido.

    Por favor, se for possível me ajude, e se ajude também, a eliminar as demais alternativas da questão.

    Abraços, muito bom a sua explicação sobre a resposta também.

    Responder
  3. Francisco

    Discordo da posição de dizer que a organização por processos é inflexível. A análise dos processos internos permite que se elimine os gargalos do sistema e se adapte a empresa às necessidades dos clientes. Vimos vários estudos de caso em “Modelagem de Processos” em que uma das caraterísticas principais era justamente a flexibilidade de adaptação. Como foi explicado acima, os processos são “blocos de montagem”, que, quando bem configurados, permite mais agilidade nas mudanças.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload