35. (CESGRANRIO – PETROBRAS– ADMINISTRADOR/2010)

Ao longo do ano de 2000, a empresa brasileira XYZ identificou crescente número de visitas em seu site, originadas da Argentina. Muitos dos argentinos que procuravam informações a respeito dos produtos da XYZ compravam produtos através do site de vendas da empresa. Com o objetivo de aumentar a abrangência da empresa e iniciar atividades internacionais a partir do mercado argentino, em 2001, a XYZ comprou a empresa argentina WW e passou a ser proprietária de suas plantas de produção, armazéns e centros de distribuição, que passaram a produzir e distribuir produtos XYZ. A estratégia de ingresso no mercado internacional da XYZ é classificada como

(A) exportação indireta.
(B) exportação direta.
(C) joint venture.
(D) licenciamento.
(E) investimento direto.

COMENTÁRIO
(Por Silvia Meszaros)

Caros colegas de batalha,
Vamos ao tema Estratégias de Internacionalização.
A fim de facilitar a visualização das estratégias de acordo com o risco, segue a ordem na seta a seguir:

1)      Exportação Indireta
Habitualmente, as empresas começam com a exportação indireta, ou seja, contam com intermediários independentes para exportar seus produtos.  É a estratégia que envolve menos investimentos, uma vez que não precisa desenvolver um departamento de exportação nem uma equipe de vendas ou contatos no mercado internacional. E ainda, que envolve menos riscos. Como os intermediários internacionais agregam know-how e serviços ao relacionamento, a empresa cometerá menos erros.

2)      Exportação Direta
Em determinado momento, as empresas podem acabar decidindo controlar as suas próprias exportações portanto, o investimento e o risco são maiores.

3)      Licenciamento
O licenciador concede a uma empresa estrangeira o uso do processo de fabricação, da marca, da patente, dos segredos comerciais ou de outros itens relevantes em troca de pagamento de uma taxa ou royalties. O licenciador consegue entrar no país com médio risco e o licenciado passa a dominar o processo de produção de um produto ou marca muito conhecidos.
Os licenciadores têm menos controle sobre o licenciado do que teriam se tivessem construído suas próprias instalações de produção e vendas.
Uma empresa pode ingressar em um mercado internacional por meio de franquia, que é uma maneira mais completa de licenciamento. O franqueador oferece sistema operacional e orientação completos. Em contrapartida, o franqueado faz um investimento inicial e paga determinada quantia ao franqueador.

4)      Join-ventures
Investidores estrangeiros podem se unir a investidores locais para criar uma join-venture na qual possam dividir o controle e a propiedade.
A formação de uma join-venture pode ser necessária ou desejável por razões econômicas ou políticas; a empresa estrangeira pode não ter recursos financeiros, físicos ou de gerenciamento para levar adiante o empreendimento sozinha ou o governo estrangeiro pode exigir que seja feita uma join-venture como condição para a entrada no país de interesse.

5)      Investimento Direto
A empresa estrangeira pode comprar uma empresa local (ou tornar-se acionista) ou construir suas próprias instalações no país interessado.

De volta ao exercício, de acordo com o tercho “XYZ comprou a empresa argentina WW e passou a ser proprietária de suas plantas de produção, armazéns e centros de distribuição, que passaram a produzir e distribuir produtos XYZ” podemos concluir que a estratégia da XYZ foi de investimento direto na Argentina.

Assim ficou fácil, fácil…

RESPOSTA LETRA E

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload