35. (CESGRANRIO – PETROBRAS– ADMINISTRADOR/2012)

Uma rede de pequeno porte, atuando no varejo de roupas femininas, pretende reposicionar-se no mercado, modificando sua atual estratégia de liderança de custos para uma estratégia de diferenciação. A preocupação central dos executivos tem sido em relação à mudança de uma cultura organizacional com foco em custos para uma cultura com foco na geração de valor para o cliente. Desse modo, estão sendo planejadas, pelo departamento de RH, algumas ações para promover a mudança da cultura organizacional.
Qual ação de mudança na cultura organizacional deve ser sugerida pelo RH?

(A) Desenvolver na equipe de produção uma cultura de eficiência e produtividade aliadas a níveis de qualidade aceitáveis.
(B) Instruir a equipe de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para que intensifique o foco em extensões de produto e melhoria de processos.
(C) Preparar e estimular os colaboradores na identificação de oportunidades de inovação tecnológica com foco em design e desempenho valiosos.
(D) Simular com a equipe de vendas situações com o cliente que exponham o foco em valor, confiabilidade e preço baixo.
(E) Treinar a equipe de contabilidade para que intensifique a coleta de dados de custos e mantenha princípios contábeis conservadores.

COMENTÁRIO

Estamos falando de cultura organizacional. Cultura é a identidade da empresa, o conjunto de valores, de crenças, vestuário, modo de falar, de agir em determinadas situações entre outros fazem parte da cultura da empresa, que serve inclusive como uma baliza para novas decisões que precisem ser tomadas.

A cultura pode definir a adaptabilidade às mudanças externas, sendo uma cultura mais inovadora e mais aberta às influências externas, ou pode ser uma cultura mais fechada e mais rígida, mais difícil de se adaptar. Porém a questão não fala do tipo de cultura, e sim da mudança dela. Dizer que a cultura é adaptável à mudança não queremos dizer que a cultura mudará, mas sim se moldará apenas. A mudança de cultura dentro de uma empresa passa por diversas dificuldades.

Todo ser humano tem um certo medo da mudança, isso é inerente à racionalidade do ser humano. Não que todos sejam igualmente medroso, porém todos tem um certo medo ou ansiedade quando se encontram à beira de uma mudança. Em uma empresa, composta por seres humanos, não seria diferente. Toda mudança gera uma expectativa, um medo. E quando essa mudança mexe justamente com a parte mais “incrustada” na empresa que é a cultura, a resistência é ainda maior.

A mudança de cultura tem que começar como exemplo, vindo de cima da hierarquia, mas não como algo imposto, como algo que os superiores comecem a fazer, comecem a dar o exemplo, preparem o terreno, façam treinamento nos funcionários (quando necessário), preparem, criem estímulos à mudança buscando o encorajamento para mudar. Enfim, a cultura é algo que tem que ser mudado aos poucos e de maneira pouco traumática, sob o risco de se não acontecer assim, ocorrer muita reação negativa, muito mais barreiras à mudança e algo planejado para ser melhor para empresa pode acabar caindo por terra e uma oportunidade crucial de mudança para melhor pode ser perdida.

No caso da questão a cultura era de custos, ou seja, tudo era pensado para minimizar custos, aumentar a eficiência e a produtividade. E a empresa quer mudar essa cultura adotando agora uma cultura de agragar valor. O custo não será mais o foco e sim na percepção de valor pelo cliente, nos detalhes, na qualidade, na diferenciação do produto, para isso tem de haver a mudança de cultura aos poucos e como já relatada. Vamos analisar os itens.

(A) Desenvolver na equipe de produção uma cultura de eficiência e produtividade aliadas a níveis de qualidade aceitáveis. – Eficiência e produtividade é de preocupação nos custos, não na agragação de valor.
(B) Instruir a equipe de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para que intensifique o foco em extensões de produto e melhoria de processos. – Melhoria de processos é para redução de custos.
(C) Preparar e estimular os colaboradores na identificação de oportunidades de inovação tecnológica com foco em design e desempenho valiosos. – Fala de treinamento (preparo) e estímulo a mudança e foca no design e desempenho, ou seja, no que agrega valor e não dos custos. Alternativa correta.
(D) Simular com a equipe de vendas situações com o cliente que exponham o foco em valor, confiabilidade e preço baixo. – Preço baixo é questão de custos, a empresa quer sair desse foco.
(E) Treinar a equipe de contabilidade para que intensifique a coleta de dados de custos e mantenha princípios contábeis conservadores. – Completamente sem mudanças da visão atual, não mudaria nada.

RESPOSTA LETRA C

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload