38. (CESGRANRIO – TRANSPETRO – ADMINISTRADOR/2006)

A principal dedução do Ativo Imobilizado é a depreciação. Entende-se depreciação como a(o):

(A)  parcela, estimada  pela empresa,  que  não será  recebida em  decorrência da  existência de  maus  pagadores.
(B) perda do  valor do capital aplicado em valores  intangíveis,  curto  prazo,  exclusivamente, em  detrimento do  lançamento de  novas ações.
(C)  perda de  capacidade de um  Imobilizado,  pelo  desgaste ou  deterioração, produzir  eficientemente.
(D)  valor correspondente ao  prejuízo  obtido no exercício  que prazo,  devido à  taxa de  juros ser  mais  reduzida.
(E)  valor correspondente ao imposto sobre operações, incidente  sobre um  bem  adquirido,  que  somente é  contabilizado quando  este  bem é  substituído por um novo

COMENTÁRIO

Todo mundo já deve ter ouvido falar em depreciação e, com certeza, essa questão foi moleza por isso.

Depreciação é um desgaste contábil, é a perda de valor de bens físicos (corpóreos ou tangíveis), que pode ser dada em razão de:

– Desgaste ou perda de utilidade pelo uso;
– Ação da natureza;
– Obsolescência.

Por que eu falo que é um desgaste contábil? Porque essa perda é definida por lei, não é da vontade do administrador da empresa. Para um carro, por exemplo, a legislação manda que se deprecie em 5 anos, ou seja, 20% do valor contábil do carro entrará negativamente para corrigir o valor desse bem devido ao uso. Em 5 ano esse caro terá depreciado completamente contabilmente falando, mas não quer dizer que o carro esteja inutilizável, provavelmente não esteja. Essa depreciação é somente contábil, acumulada por uma perda de capacidade de um ativo imobilizado.

Por essa simples definição:

RESPOSTA LETRA C

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload