24. (CESGRANRIO – TRANSPETRO – ADMINISTRADOR/2011)

Iniciando-se o processo de análise econômico-financeira de uma empresa, foram coletadas, em reais, as informações abaixo, com base no último balanço publicado.

Estoque em 31/12/X0 = 180.000,00
Estoque em 31/12/X1 = 220.000,00
Contas a Receber em 31/12/X0 = 350.000,00
Contas a Receber em 31/12/X1 = 326.000,00
Custo da Mercadoria Vendida = 900.000,00
Financiamentos de curto prazo = 550.000,00
Financiamentos de longo prazo = 850.000,00
Ativo Imobilizado = 847.000,00
Patrimônio Líquido = 660.000,00
Fornecedores = 290.000,00

A partir das informações acima, qual o valor, em reais, do capital de giro em 31/12/X1?

(A) 359.000,00
(B) 663.000,00
(C) 886.000,00
(D) 1.213.000,00
(E) 1.403.000,00

Ja falei de capital de giro aqui: http://administracaocomentada.wordpress.com/2011/06/21/36-cesgranrio-%E2%80%93-transpetro-%E2%80%93-administrador2006/

E peço desculpas por um erro que cometi, acabei resolvendo essa questão pela fórmula que tinha lá, mas a fórmula do capital de giro quem tem lá (Capital de Giro = (Patrimônio Líquido + Exigível a Longo Prazo) – (Ativo Permanente + Realizável a Longo Prazo)) na verdade é igual a fórmula do capital de giro líquido. Só para provar:

Capital de giro = (PL + ELP) – (AP + RLP)
PL + ELP é tudo que sobra do lado do passivo se tirarmos o Passivo Circulante, ou seja, vou chamar essa parcela agora de P – Pc.
O mesmo acontece na outra AP + RLP é tudo que sobra do ativo se tirarmos o ativo circulante, ou seja, A – Ac.

Sendo assim, ficamos com:
Capital de giro = (P – Pc) – (A – Ac)
Capital de giro = P – Pc -A + Ac -> Como lado A e lado P são iguais, podemos cortar, ficando:
Capital de giro = – PC + Ac, rearrumando, Capital de Giro = Ac – Pc, ou seja, a fórmula do capital de giro líquido.

Resolvi no dia da prova pela fórmula lá de cima, a primeira, sem nem me ligar e achei estranho quando vi o pessoal dizendo que a questão estava errada, mas de fato está. O que a questão considerou como certa foi o capital de giro líquido, pois o capital de giro é somente o ativo circulante. Mas fiquem com a primeira fórmula na cabeça como uma alternativa ao Capital de Giro Líquido, nessa questão, por exemplo, deu certo.

Vamos lá, se a questão realmente quisesse o Capital de Giro, acharíamos assim, pela equação fundamental da contabilidade:

Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido      [Ativo = Ac + Añc ; Passivo = Pc + Pñc]
Ac + Añc = (Pc + Pñc) + PL

Nessa questão, tomaríamos:
Añc = 847 -> Ativo Imobilizado
Pc = 550 + 290 =  840 -> Financiamentos de curto prazo + Fornecedores
Pñc = 850 -> Financiamentos de longo prazo
PL = 660

Ac + 847 = (850 + 840) + 660
Ac = 1.503
Mas não temos resposta assim.

Mas se resolvermos pelo Capital de Giro Líquido, temos:

CGL = (PL + ELP) – (AP + RLP)
CGL = (660 + 850) – 847
CGL =  663.

Ou, pegar os 1.503 que achamos acima e diminuir 840 = 663.

RESPOSTA LETRA B

Ou seja, a banca deu o gabarito como Capital de Giro Líquido. O candidato teria que adivinhar na hora, por não ter alternativa com o capital do giro e, como é de costume, a CESGRANRIO não anulou.

PS: Para quem vai fazer o BNDES esse fim de semana, boa prova! Espero que estejam bem preparados intelecto e fisicamente, pois 8h de prova em um dia é osso. Para quem não fará, vamos passar o fim de semana estudando.

19 Comentários

  1. guilherme

    site incrível!! essa sua boa vontade em compartilhar conhecimento é também incrível

    Responder

    1. Obrigado Guilherme!

      Mas aqui não compartilho conhecimentos meus, quem dera eu ter todo esse conhecimento! hehehe! Compartilho o fruto de pesquisas sobre o tema de cada questão pedindo a Deus que ele coloque tudo isso na minha cabeça e na de quem visita o Blog! Para que todos nós possamos passar nos concursos desejados. =D

      Responder
      1. Natasha

        Seu demagogo! Pra todos nós passarmos tem que ter mais vagas do que a lotação de todos os jogos do Superbowl juntos.

        Brincando viu, obrigada pelas dicas :***

        Responder

        1. Não sei se digo de nada… se me sinto ofendido!
          =P

          Obrigado pela visita Natasha. Pode voltar que dicas sempre terão, sem demagogia!
          =D

          Responder
  2. Michel Spadeto

    Brunão, lembra-se do e-mail que te mandei na semana seguinte à prova. Um colega resolveu essa questão de forma diferente, e constatou que a única alternativa dada era do Capital de Giro Líquido, ou seja, AC – PC, e por isso a questão poderia ter sido anulada.
    Ele sugeriu que fizéssemos da seguinte forma: A.total = 1.393.000; P.total = 2.350.000
    Como Ativo tem que ser igual ao Passivo, faltou no Ativo 957.000, que ele considerou como CAIXA.
    Daí ele fez:
    CGL=AC – PC
    CGL= (Estoque+Contas a Receber + Caixa) – (Financ. curto prazo + Fornecedores)
    CGL=220.000+326.000+957.000 – 550.000 – 290.000= 663.000

    É um método que não precisa usar fórmula, para os que não gostam delas.
    Os créditos vão para Jefferson Rodrigues, Consultor Executivo da SEFAZ-ES, um amigo meu.

    Responder

    1. Lembro sim Michel. Até olhei novamente agora para ver direitinho o que você tinha me mandado.
      Bem, ele utilizou 2 fórmulas. A fundamental da Contabilidade e uma de CGL. A primeira está descrita conceitualmente, mas está aí.

      Enfim, o que eu acho massa em questões de cálculo é que existe essa infinidade de maneiras de se fazer.
      Eu coloquei essa fórmula por já ter falado nela antes e queria me retratar da besteira que falei antes.

      Mas obrigado pela contribuição, do Jefferson e sua, por está divulgando aqui!

      Responder
    2. Será ?

      Viajou na maionese, né companheiro !!!

      Quem disse que os $957 poderiam ser ,integralmente, assumidos como Caixa ?

      Esta diferença de $957 entre o ativo e o passivo poderia estar em qualquer conta do ativo permanente como: diferido ou investimentos.

      A questão foi mal formulada e ponto. Não adianta partir da resposta dada para ficar imaginando possíveis soluções.

      A organizadora é muito ruim…isso sim.

      Responder
  3. Rafael

    Bruno, me parece coerente a questao pois para chegar ao capital de giro liquido precisariamos depois disso subtrair o PC. Esta formula ((PL+ELP) – (AP+RLP)) na verdade nos leva ao Capital de Giro.

    Responder

    1. Rafael,
      Como eu falei na questão, provando a fórmula, essa fórmula na verdade é do Capital de Giro Líquido, não sei porquê alguns autores trazem como somente capital de giro, mas para a grande maioria dos autores Capital de Giro = Ativo Circulante. Capital de giro líquido é AC – PC ou (PL+ELP) – (AP+RLP) que, como eu provei na questão, na verdade são os mesmo cálculos feitos de maneiras diferentes.
      A questão foi um engano mesmo da banca, que não reconheceu seu erro, diga-se de passagem.

      Obrigado pelo comentário e pela visita.

      Responder
  4. Michel Spadeto

    Bruno,
    Talvez ninguem tenha entrado com recurso, por isso não anularam. Mas valeu quebrar a cabeça, pois quando vi essa questão fiquei maluco. As pesquisas ajudaram a fixar o conhecimento, principalmente quando queremos provar que a banca estava errada…isso é instigante.
    Um abraço.
    Michel

    Responder

    1. Olá Michel,

      Instigante demais. Não sei se ninguém entrou com recurso, mas se tiverem entrado e ela não tiver anulado é que é revoltante.
      Mas é isso, continuar estudando até passar e quem sabe um dia fazer parte de uma banca, né? Quem sabe melhorarmos as provas, ou entender como é difícil estar do outro lado do concurso.

      Bruno.

      Responder
  5. Marina

    Bruno, e o valor do estoque, pq vc nao usou? Eu me confundo demais a classificaçao das contas, mas estoque é AC, né?

    Responder

    1. usei sim, Marina.
      É que nesa questão, ele não nos dava todo o Ativo Circulante, ainda tínhamos que achar uma parte dele, que foi omitida pela questão. Por isso seria melhor achar pela fórmula geral do balanço! Mas se a questão diz que use “exclusivamente” o que está acima, estoque faz parte do AC sim, mas no caso, somente o estoque da data que se quer.

      Responder
  6. Wíverson Cardoso

    Acho que esse monte de informações sucessivas complicaram um pouco a história… rsrsrs Demorei um pouco pra entender tudo isso, mas no fim (e depois de ler essa questão e a 24 e pesquisar em vários outros locais, conseguir entender a coisa toda… ufa!!!!)

    Resumo da Ópera:
    – Capital de Giro: é o próprio valor do Ativo Circulante, simples assim.
    – Capital de Giro Líquido: é o resultado da diferença entre o Ativo Circulante e o Passivo Circulante. É um indicador da liquidez da empresa, representando a capacidade de pagamento. Se o CGL for muito maior do que a necessidade de capital da empresa (e isso se repetir frequentemente) isso pode acarretar o efeito tesoura.
    A fórmula para cálculo do CGL é a seguinte:
    CGL= AC-PC

    mas se não tivermos esses dados, pode ser substituída (pelos motivos explicado acima) por:
    CGL=(PL + ELP) – (AP + RLP)

    Quem quiser saber mais sobre o assunto, tem uma explicação bem interessante aqui:

    http://www.mackenzie.br/fileadmin/FMJRJ/coordenadoria_pesq/Revista_CADE/CADE_7/giro.doc

    Espero ter ajudado pessoal, é isso!!!! 🙂

    Responder
    1. Wíverson Cardoso

      3 anos e meio após esse comentário, cá estou eu comentando novamente e sendo auxiliado pelo meu próprio comentário, rs

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload