55. (CESGRANRIO – TRANSPETRO – ADMINISTRADOR/2011)

Uma montadora optou por adotar uma estratégia de liderança de custo ao concentrar a produção de um novo modelo de automóvel em apenas uma fábrica por continente.
Dessa forma, maior quantidade de unidades seria produzida no Brasil para distribuição nas Américas do Sul e do Norte.
No caso, a eficiência de custo foi determinada por

(A) design de processo
(B) custo de fornecimento
(C) curva de experiência
(D) participação de mercado
(E) economias de escala

COMENTÁRIO
(Por Bruno Cavalcante)

A questão fala das estratégias genéricas do Porter.

Apesar de já ter sido bem falado no blog, pois afinal é ficha certa em provas de administração. Detalharei novamente aqui, tetando usar outras palavras. Apesar de ser um assunto bastante tranquilo de ser estudado.

As estratégias genéricas são:

– Diferenciação: O investimento da empresa passa mais para passar uma imagem, uma ideia de que seu produto é melhor, é diferenciado. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento, pós-venda, pesquisa de mercado e na qualidade dos produtos são bastante pesados, para passar esse conceito de ser o melhor produto para o consumidor.

– Liderança em custo: Aqui a preocupação da empresa é ter o produto mais barato do mercado. Não se preocupa tanto com serviços agregados, como o pós-venda e concentra seus esforços na eficiência produtiva. Empresas que adotam essa estratégia costumam ter uma produção bastante alta, pois assim conseguem diminuir seus custos de produção unitários, gerando preços altamente atrativos.

Essas duas estratégias as empresas buscam abranger todo o mercado. Ser a líder em custo para todo o mercado ou ser o produto com maior diferenciação do mercado. A diferença dessas duas para o “Foco” é simplesmente a abrangência. Podemos ter o:

Foco na diferenciação: A empresa adota todas as estratégias da diferenciação, porém atua somente em um nicho, um segmento de mercado específico.

– Foco nos custos: A empresa adota todas as estratégias da liderança em custo, porém atua somente em um nicho, um segmento de mercado específico.

Dito isso, vamos para a questão. Ela já nos diz que a empresa está com a estratégia de liderança em custo e que está centralizando sua produção de cada continente para produzir muito mais tendo um ganho de custos pelo tamanho da produção.

Independente do tipo de custo que a empresa utilize, quanto maior a escala de produção, ou seja, quanto maior o número de produtos fabricados, menor será o custo de produção unitário. Pela capacidade da empresa barganha com os fornecedores, por comprar grandes quantidades; ou por diluir mais os custos fixos entre os produtos; ou por cada produto precisar levar uma margem de contribuição menor. O nome desse fenômeno é ganho de escala.

Olhando para as opções, talvez quem tenho visto o gráfico da “curva de experiência” durante os estudos, mas não lembrava direito o que era, possa ter se confundido. Essa curva é a representação gráfica de quanto maior a produção acumulada, menor o custo unitário. Como assim?
A teoria diz da curva de experiência diz que o meu segundo produto produzido será fruto de uma produção mais eficiente, devido à experiência adquirida em produzir o primeiro produto. E assim, quanto mais eu vou produzindo, mais experiência vou ganhando e mais eficiente irá ficando minha produção. Mas isso não tem nada a ver com a centralização da produção para ganhar em quantidade, até pelo fato da teoria da curva de experiência não mencionar períodos. Ou seja, meu segundo produto pode ser feito um mês depois somente, mas ainda assim será produzido mais eficientemente.

No caso, a questão na fala nada em mudar os processo, ou seja, alterar o design (o desenho) do processo. Não menciona nada se a participação no mercado está projetada para maior ou menor. Esse dado nem é mencionado. E o custo de fornecimento não é o fator determinante para o aumento da eficiência. A diminuição desse custo é consequência, resultado desse ganho de escala. E não confuda custo de fornecimento (que a empresa fornece) com custo de fornecedores (que a empresa compra, que fornece à empresa).

Deu para entender? Qualquer coisa perguntem.
Não fiquem com dúvidas guardadas!

RESPOSTA LETRA E

2 Comentários

  1. Denise Oliveira Cabral Vieira

    Gente, estou gostando tanto das informações que gostaria de saber onde posso encontrar mais provas respondidas.

    Responder
  2. Paula B.

    Bruno, queria saber sua opinião sobre este concurso da Petrobrás 2012. Vi que vc analisou o edital e que a empresa fará um cadastro de reserva de mais de 400 pessoas. Será que há possibilidade de chamar muita gente devido ao forte movimento de “primeirização” que o sindicato vem fazendo? Ou seja, trocar os contratados por concursados. O que vc acha?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload